JUIZ INICIA INTERROGATÓRIO DE RÉUS POR CRIMES DE PECULATO EM CABINDA

A fase de interrogatório, para a busca de provas contra os oito réus da Empresa Pública de Águas de Cabinda (EPAC) acusados por práticas de peculato, branqueamento de capitais, associação de malfeitores e criminosa, teve início nesta terça-feira.

Os 8 réus são acusados de desfalque de 21 milhões, 964 mil e 466 e 42 cêntimos de kwanzas, gestão danosa de fundo públicos e falta de transparência nas receitas de pagamentos de contratos e consumo de água dos clientes do município sede de Cabinda.

O julgamento, que tem lugar na sala principal de audiências do Tribunal da Comarca de Cabinda, começou na sexta-feira última, tendo-se cingido apenas na audição das declarações da defesa dos cinco advogados e três declarantes.

O processo envolve os réus Filipe Barros, Luís Marques Franque, Tiago Luemba Clemente, Berta Itula Pemo Tati, Maria Imaculada Béua Barros, Celina NZinga Baba, Maria Pascalina Lembe Nguvulo e Maurício António Ola, todos da empresa EPAC.

Os referidos funcionários exerciam cargos de chefia em diferentes departamentos durante a  Comissão Instaladora da Empresa de Águas de Cabinda (EPAC), em Fevereiro de 2015, sob coordenação dos réus Filipe Barros e Luís Marques Franque.

Os réus respondem em liberdade.

Fonte: Angop

© 2019 A VOZ DE CABINDA – MBEMBU BUALA, PELA VERDADE E JUSTIÇA – CABINDA ACIMA DE TUDO E DE TODOS

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.