GABÃO SUSPENDE ACREDITAÇÃO DO CORRESPONDENTE DA RFI

Foto Gabonactu

O regulador de mídia no Gabão suspendeu por dois meses o credenciamento do jornalista, correspondente da Rádio France Internationale (RFI) julgando “falso” um artigo que afirma, segundo ele, “a questão da integridade física” do presidente Ali Bongo Ondimba.

A Alta Autoridade da Comunicação (HAC) divulgou a mesma na quinta-feira à noite em uma decisão lida na televisão nacional.

Em questão, um relatório publicado sábado no site da rádio francesa sobre a cerimônia do dia da independência em Libreville, na presença do chefe de Estado, dez meses após o seu acidente vascular cerebral.

“O Presidente da República nunca se levantou como antes para saudar as tropas do exército” durante a parada militar, escreveu em particular o jornalista gabonês da RFI no site da rádio, Yves-Laurent Goma.

Para o HAC, o artigo usa “informações imprecisas com insinuações maliciosas (…) questionando a integridade física” do Presidente Bongo.

O presidente, “de acordo com as diretrizes do protocolo estadual, subiu sempre que necessário”, continua o texto da decisão.

O HAC, portanto, suspendeu por dois meses o credenciamento do Sr. Goma, proibindo-o de fato de exercer sua profissão de jornalista no Gabão. Além da RFI, Yves-Laurent Goma também administra um site de informações, o Gabonactu.com. Várias suspensões desde o início do ano “A gestão da RFI deplora a retirada pelo HAC da acreditação de seu correspondente por um período de dois meses”, divulgado sexta-feira no site da rádio francesa.

“A RFI está comprometida com a liberdade de informação e quer que seu correspondente encontre sua permissão de trabalho o quanto antes para continuar cobrindo as notícias do Gabão, como ele fez sem parar por 17 anos”, diz o texto.

O HAC também suspendeu na quinta-feira por três meses um dos principais sites de notícias privadas do país, Gabon Review. Em questão, um artigo publicado no início de Agosto prejudicou “a imagem do HAC por insinuações maliciosas”, afirmou aquele órgão.

Desde o início do ano, o HAC multiplicou as suspensões de mídia por não conformidade. “A mídia que se atreve a criticar o presidente ou seus familiares enfrentam sanções quase sistemáticas”, disse a organização para a defesa da liberdade de imprensa Repórteres Sem Fronteiras (RSF) no final de junho.

Criado em 2018, o HAC é presidido por Raphaël Ntoutoume Nkoghe, ex-conselheiro encarregado das relações com a imprensa à presidência da República.

País petrolífero da África Central, o Gabão é liderado por Ali Bongo Ondimba, que sucedeu em 2009 seu pai Omar Bongo, que chegou ao poder em 1967.

Fonte: AFRICA NEWS, via AFP

© 2019 A VOZ DE CABINDA – MBEMBU BUALA, PELA VERDADE E JUSTIÇA – CABINDA ACIMA DE TUDO E DE TODOS

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.