FEIRA DO EMPREGO, TRANSFORMA-SE EM DESESPERO, GRITOS, LAMENTOS E DESMAIOS

Pânico, frustração, desespero, gritos, lamentos e desmaios, na abertura da Feira de Oportunidades de Emprego, Estágio e Formação Profissional – FOEEFP, realizado no pretérito dia 06-09-2019, no Centro de Conferência de Belas, em Luanda, Angola.

Segundo relatos, a abertura do certame teve uma nota negativa, tendo em conta à confusão e desordem que tomaram conta do local, perpetuada pela moldura humana presente, composta grande maioria por jovens que procuravam se inscrever para o primeiro emprego.

Para muitos atribuem as responsabilidades a grande confusão que se instalou no interior à organização do certame, devido o débil cordão de segurança. Provocando, o desespero, pânico, gritos, frustração, lamentos e desmaios aos concorrentes. Como se pode ver no vídeo abaixo:

Vídeo VOC

Segundo o Jornal Expansão, que publicou recentemente os dados estatísticos sobre a temática do INE, em termos globais o desemprego voltou a crescer, cifrando-se em 29%, as camadas jovens, dos 15 aos 24 anos apresentam uma taxa de 53,8%, aumenta nas cidades, 39,3%, e decresce no meio rural, 14,3%. As mulheres continuam a ser mais penalizadas, 30,3% estão desempregadas, enquanto que nos homens a taxa é de 27,3%.

Os dados do INE para o 1.º semestre de 2019 mostram que o desemprego no País continua a aumentar, embora de forma ligeira, passando 28,8% no final de 2018 para 29% no início de Julho deste ano. Nas cidades o crescimento é maior, passou de 36,5% para 39,3%, contrastando com a taxa das zonas rurais, que baixou dos 16,2% para os 14,3%.

As mulheres são as mais afectadas, 30,3% estão desempregadas, apesar do valor ter decrescido ligeiramente, no final do ano era de 30,9%. O desemprego masculino continua a crescer ao longo de toda a última década, em 2010 era de 8,2%, seis anos depois o valor atingiu os 18,8%, e no final do 1.º semestre deste ano atingiu os 27,5%.

A faixa da população mais atingida continua a ser a dos jovens, sendo que o INE avança que 53,8% dos jovens entre 15-24 anos estão desempregados. Uma realidade preocupante, que é olhada de outra forma pelo Governo. “O Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, está atento aos indicadores do Emprego e Educação, que demonstram que 59,2% dos jovens entre os 15-24 anos estão a estudar, 12,5% estuda e trabalha e 16,5% não estuda nem trabalha”, avança o secretário de Estado do Trabalho e Segurança Social, Manuel Moreira.

Para entender os números é necessário primeiro entender o conceito que está subjacente à pesquisa do INE. Consideram-se desempregados, e contam para os números do desemprego os maiores de 15 anos que no período em referência se encontravam simultaneamente nas seguintes situações – não tinham trabalho remunerado, mas tinham procurado activamente no mínimo nas três semanas anteriores, e ao mesmo tempo se encontram disponíveis para aceitar um trabalho remunerado ou não.

Ou seja, só são considerados desempregados aqueles que de forma empenhada procuraram trabalho e estão disponíveis para aceitar desde já um emprego.

© 2019 A VOZ DE CABINDA – MBEMBU BUALA, PELA VERDADE E JUSTIÇA – CABINDA ACIMA DE TUDO E DE TODOS

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.