DOUTORMANIA EM ANGOLA VS PRODUÇÃO CIENTÍFICA PARA A SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS SOCIAIS

nj

A Universidade é uma instituição de ensino superior que compreende um conjunto de faculdades ou escolas superiores destinadas à especialização profissional e científica.

Por Carlos da Conceição


Desde que as universidade surgiram, desempenharam sempre um papel crucial no desenvolvimento das sociedades. Alias os cursos universitários, nomeadamente; licenciaturas, pós graduações, mestrados, doutoramentos ou outras, visam sempre dar respostas a problemas sociais concretos, em função dos contextos, por isso temos visto diversas personalidades a serem distinguidos por meio de prémios, como é caso do prémio Nobel, a nível das ciências, tais como prémio Nobel, de física, matemática, química, economia só para citar estes, isto porque estas individualidades levam a sério a investigação científica, assim como mostram-se preocupados com o desenvolvimento da ciência e não só.


Cá entre nós a realidade é totalmente diferente, os nossos licenciados, nossos mestrados, e os nossos doutorados é só para o inglês ver! Particularmente os doutorados que será o epicentro da nossa abordagem opinativa, entendemos que os mesmo morreram desde momento que receberam os diplomas, das universidades onde eventualmente se formaram, morreram porque, não conseguem para além das defesas que supostamente fizeram nas referidas universidades, escrever artigos científicos nas revistas de especialidade, livros. São autênticos copistas. Vamos rapidamente olhar no conceito básico do último titulo académico. PhD é a sigla para Philosophia Doctor, ou Doutor da Filosofia, e é um termo oriundo do inglês. PhD é o último e mais alto título académico recebido por um indivíduo, e é conferido sempre por um estabelecimento de ensino superior, como uma universidade.


Os títulos académicos são divididos em graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado e PhD. Como vimos antes, o título de Doutor é equivalente ao PhD, porém essa nomenclatura é mais utilizada nas universidades anglo-saxónicas. Os requisitos para obter o título de PhD variam muito em cada país. Para receber o título de PhD é essencial ter um bom currículo académico, ter um histórico de publicações em veículos científicos ou através da obtenção de patentes, além de qualidades e experiência em pesquisa.


Se levarmos em consideração o conceito de PhD na nossa realidade( Angola), veremos que estamos muito distante, os nossos poucos doutores, andam mortos, não fazem o que de facto deviam, mais dizem aos seus alunos para não serem reprodutores, dizem-se serem os donos do saber cá na nossa banda, mais o que dizem ou fazem não é reconhecido universalmente, dizem ser Pai da ciência x, ou y, mais nada fazem para melhorar a ciência em termos de produção cientifica. Quando estão nas salas de aulas a aterrorizam os estudantes, pensam que são apenas tábua rasa, apegaram-se em paradigmas pedagógicas que já foram esquecidos a séculos, aquela ideia de que o professor era o centro do saber foi ultrapassado, a didáctica e pedagogia contemporânea reprovam justamente os modelos e as formas como os nossos supostos ( Phd), constroem o conhecimento que passam para os seus alunos ou estudantes, talvez fosse melhor que observassem os ensinamentos de um dos renomados pedagogos Brasileiro, Paulo Frei. Que revolucionou os modelos pedagógicos arcaicos, o ensino hoje privilegia o modelo construtivista no processo de ensino e aprendizagem, que dá atenção ao aluno/estudante, ou seja ele também é parte do processo de ensino e aprendizagem.


Os nossos (phd) Professores doutores nem artigos de opinião conseguem escrever algo tão simples, que poderiam fazer e bem, não se sacrificam como os velhos da ciências, Sócrates, Platão, Aristóteles, Kant, Durkheim, Freud só para citar estes, porque a lista seria longa, que deixaram o orgulho de lado, para criar teorias, porque tinham identidade com a ciência ou seja se preocupavam com ciência e com a sociedade, muitas destas teorias e teses defendidas por estes velhos cientistas, continuamos a usar nas nossas formações. Só nos falta ver os nossos doutores andarem com os seus diplomas, como se de vendedores ambulantes se tratassem, como um dia vi, em alguém que foi a procura de uma vaga para a docência num destes nossos institutos de ensino superior, andava com a sua tese de doutoramento, e mostrava-nos, e dizia está é a minha tese, defendia na universidade y. Porém este tipo de comportamento de muito de nossos intelectuais remete-nos naquilo que chamamos de pobreza intelectual, por isso não são humildes, esquecem que os conhecimentos envelhecem, uma tese de doutoramento defendido há 10 ou mais anos, não continua a ser a mesma, ou seja muito do que foi abordado terá sido ultrapassado, refutado em fim, é importante que os nossos doutores produzam conhecimento, formam, como deve ser, quando estão em sala de aulas não podem transformar as salas de aulas em autênticos exércitos.


Academia levado a sério é bom dá prazer, ajuda o país a desenvolver-se, como dizia um dos meus mestres, o conhecimento dá felicidades, liberta alias o fundador do cristianismo, Jesus Cristo, dizia isso mesmo, ao afirmar que Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará São João 8: 32 (….) realmente quando bem usado. O mundo é dinâmico os conhecimentos também, ninguém deve pensar que é o dono do mesmo, ninguém deve pensar que a nossa sociedade continua ignorante, face aos títulos académicos, sabemos exactamente qual é o papel de um licenciado, mestre e de um doutor( Phd), vamos definir bem os nossos papéis e saber desempenha los, assim vamos melhorar a nossa academia, os nossos doutores precisam de acordar, deixar de lado o orgulho, reconciliar-se com a ciência, restabelecer o corte epistemológico, porque a universidade precisa disso, as universidade devem cobrar, mais dos Phd ́s, quem apresenta título de professor doutor que não tenha escrito nada, nem inscrito em comunidades ou organizações cientificas locais ou regionais não pode fazer parte da universidade, deve se estabelecer prazos! A qualidade do nosso ensino superior passa um pouco por isso, é como a questão dos mestrados, os mestrados são pelo menos de dois tipos, o profissional, com uma vertente virado mais para a empresa, e o mestrado cientifico, virado para academia e a investigação cientifica, assunto que vamos aprofundar no próximo artigo.

*Carlos da Conceição (sociólogo, escritor, consultor académico e docente universitário

Fonte: club k

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.