EX-MILITARES DESAFIAM ESTADO DE EMERGÊNCIA E MANIFESTAM-SE EM LUANDA

Cerca de 200 ex-militares que foram desmobilizados manifestaram-se hoje em Luanda, desafiando as regras do estado de emergência que vigora em Angola desde 27 de março devido à pandemia de covid-19, confirmou a Lusa junto de fontes policiais.

Os manifestantes que hoje percorreram algumas ruas da Maianga, no centro de Luanda, capital do país, fazem parte de um grupo de ex-militares das Forças Armadas Angolanas (FAA) que há alguns anos reivindicam ser enquadrados na Polícia Nacional.

Segundo as mesmas fontes, não houve detenções.

No ano passado, os ex-militares, que desde 2014 foram desmobilizados das FAA, fizeram duas manifestações na capital angolana para reclamar a entrada na Polícia Nacional, tendo um outro protesto ocorrido na província do Huambo, com o mesmo propósito.

Já em janeiro último, o comandante-geral da Polícia Nacional angolana, Paulo de Almeida, apelou aos antigos combatentes para deixarem de se manifestar, considerando este comportamento negativo para a entrada naquela força.

De acordo com Paulo de Almeida, a integração dos ex-militares na polícia não é automática, nem é uma transferência, mas obedece a mecanismos e processos de apuramento e seleção.

Angola declarou o estado de emergência para conter a propagação da epidemia de covid-19, pela primeira vez, em 27 de março, tendo já prorrogado por duas vezes a decisão.

O país conta atualmente com 35 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus, entre os quais duas mortes.

Lusa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.