Política

JURA QUER DESPARTIDARIZAÇÃO DOS ÓRGÃOS DO ESTADO

A JURA quer ver os órgãos do Estado despartidarizados para permitir um atendimento imparcial ao público. Esta exigência foi manifestada pela secretária provincial, Elizete Ngueve William, durante uma conferência de imprensa organizada no Luena pela organização juvenil da UNITA.

A líder da JURA aproveitou a ocasião para criticar o mau desempenho do Gabinete Provincial da Juventude e Desportos local, como fruto da acumulação das tarefas. Foi referido que, no princípio deste ano, o gabinete procedeu de forma parcial por ter excluído os membros da JURA no processo de concessão de crédito para agricultores e jovens empreendedores.

Ngueve William acusou ainda a direção do mesmo gabinete de ter negado o pedido da JURA de realizar uma conferência de imprensa na casa da juventude da cidade do Luena, considerando esta atitude o reflexo de falta de comunicação e discriminação contra os jovens enquadrados nas fileiras do braço juvenil do maior partido da oposição em Angola.

Neste sentido, apelou aos funcionários das instituições estatais para que atuem com respeito e honra, por integrarem locais de atendimento público, onde o papel do exercício da cidadania deve ser tido em conta.

Condenou igualmente determinados actos de intolerância política registados um pouco por toda a província, como nos estabelecimentos de ensino, além de ter reprovado a forma como são feitas as nomeações no setor da educação, que opta pela convicção de militância partidária em vez da competência profissional, infringindo o número 1 do artigo 81.º da Constituição da República de Angola.

Em reação a estas acusações, o diretor provincial do gabinete da Cultura, Turismo, Juventude e Desporto, Constantino Satchamuaha, disse que o seu setor jamais solicitou lista de jovens para a cedência de créditos no referido período.

O responsável negou também ter recebido algum pedido da JURA para o uso da sala de conferências da casa da juventude da cidade do Luena, presumindo que o pedido tenha sido dirigido ao Conselho Provincial da Juventude (CPJ).

Fonte: e-global