Será que o povo de Cabinda pode confiar nas instituições angolanas para à resolução do Problema de Cabinda?

Ainda sobre às declarações do Deputado Raúl Tati, sobre a aliança política com a UNITA para resolver o problema de Cabinda.

Onde lançamos à questão que se segue para Debate:

Fruto dos acontecimentos de um passado recente. Pode o povo de Cabinda confiar nas organizações políticas e da sociedade civil angolana para à resolução do Problema de Cabinda de uma vez por todas?

mbembubuala

************************************

Seguem os comentários de Clemente Cuilo:

Nenhuma organização política de Angola terá amabilidade de resolver a questão do povo de Cabinda. Os Cabindas devem conquistar, colocar o opressor sob pressão pra às negociações. Desafio estas organizações a virem ao público apresentar acordos assinados pra a independência do povo de Cabinda. O Cabinda não deve mendigar a independência, deve criar situações que levam à independência. Angola tem Cabinda como pão ou fonte de rendimento. Colono nenhum ofereceria Cabinda de bandeja. Se todos os Cabindas votarem UNITA, terá cinco deputados do círculo provincial e mesmo assim, não estará em condições de decidir os destinos de Cabinda. A ambição aguda do Dr Samakuva é pior a JES. Os deputados do círculo provincial de Cabinda querem simplesmente que votemos para que eles continuem a fazer os seus desfiles na casa das leis de Angola. Solução seria renúncia total à todas organizações políticas de Angola. Até agora, os Activistas quer políticos como de Direitos Humanos, estes sim, fazem o papel dos deputados.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.