O HOSPITAL CENTRAL DE CABINDA CONTINUA A REGISTAR MORTES INJUSTIFICADAS 

VOC

POR MBEMBU BUALA – VOC

Recentemente Alexandre Kuanga Nsito, coordenador da ADCDH, denuncio e prometeu para breve uma manifestação em Cabinda para protestar contra o mau funcionamento do sector da saúde. Na sua denuncia, publicada no dia 04 de outubro do corrente ano nas redes sociais, Kuanga Nsito afirmou o seguinte: “Mortes injustificadas no hospital Central de Cabinda. Hoje 04/10/2019, morreram 10 pessoas das uma 01h00 às 11h00 da manhã. O povo de Cabinda vai acabar. Queremos um inquérito urgente Senhor governador para ver se é problema dos médicos ou dos medicamentos”.

ATÉ AGORA COM RELAÇÃO À SITUAÇÃO AS AUTORIDADES LOCAIS, PERMANECEM NO SILÊNCIO.

Já no dia 17 de setembro na data em que anunciou à manifestação, Kuanga Nsito, deixou o seguinte aviso aos responsáveis da saúde em Cabinda: “Senhora secretária de saúde em Cabinda há muita mortalidade no hospital central de Cabinda. Logo após a sua nomeação denunciaste as mortes frequentes que haviam no hospital materno do primeiro de maio. Os órgãos judiciais haviam respondido para um inquérito, até cá não se fez sentir. Estamos em eminência de uma manifestação para por fim a esses males. Eu também há uma semana que perdi uma sobrinha de quatro anos. Creio que Cabinda não tem nenhum laboratório de análise da capacidade do medicamento”.

E a verdade é que o sector da saúde em cabinda, continua apresentar um estado preocupante, pois os sinais evidenciam que a situação poderá agravar-se. 

Para além de insuficiência na oferta de infraestruturas (quer no sector público e privado) dos que existem enfrentam muitas dificuldades no seu dia-dia para um normal funcionamento. Que resulta em inúmeras reclamações, desde de resultados mal diagnosticados e a constante falta de medicamentos o que tem provocado a perca de vidas humanas, como denunciou recentemente o coordenador da ADCDH e outras fontes conhecedoras do dossier. 

É preocupante e grave quando a principal unidade hospitalar de Cabinda, registou num período de 10 horas mais de 10 óbitos. Pelo que se continua à constatar o quadro mantém-se e as autoridades locais parecem impávidos perante a grave situação e se medidas urgentes não forem tomadas a situação poderá agravar-se.

Texto de Baveka Mayala 

© 2019 A VOZ DE CABINDA – MBEMBU BUALA, PELA VERDADE E JUSTIÇA – CABINDA ACIMA DE TUDO E DE TODOS 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.