FILOMENA DE OLIVEIRA, CONSIDERA INJUSTO O SUBDESENVOLVIMENTO DE CABINDA

Recentemente no programa de Debate de uma das televisões angolanas “Palanca TV”, subordinado ao tema:

DESENVOLVIMENTO DOS MUNICÍPIOS À LUZ DO PIIM (PLANO INTEGRADO DE INTERVENÇÃO MUNICIPAL) E A PREPARAÇÃO DAS AUTARQUIAS LOCAIS.

A empresária angolana Filomena de Oliveira, chamou à nossa atenção no decorrer do debate ao questionar sobre o subdesenvolvimento do território de Cabinda nos seguintes termos:

 “Por que Cabinda não tem usufruído mais do petróleo para o seu próprio desenvolvimento?” (…)

Um outro convidado ao debate, rebateu a questão, com uma pergunta resposta!

MAS CONHECE À RESPOSTA DISTO?

A diva do IVA, ao dar sequência à explanação admitiu:

“Conheço a resposta disto, mas não deixa de ser injusto e acabamos por ter situações indesejáveis, porque são criadas por esta falta de capacidade de justiça e de equidade no desenvolvimento local (…)”.

Assista ao vídeo

Apesar de não terem brindando o público, a principal razão para que Cabinda não use os seus recursos naturais para o seu próprio desenvolvimento e principalmente para o bem estar do seu povo.

Contudo, fica aqui o reconhecimento, directa ou indirectamente da má gestão, do desgoverno, da pilhagem e principalmente da colonização que o MPLA continua a impor, ao povo de Cabinda que luta por uma causa justa.

Texto de Baveka Mayala

Foto por TV Livre Angola

© 2019 VOICE OF CABINDA – MBEMBU BUALA, PELA VERDADE E JUSTIÇA – CABINDA ACIMA DE TUDO E DE TODOS

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.