CHEFE DO SINSE, ACUSADO DE PERSEGUIÇÃO

DEPOIS DE 24 ANOS A VINGANÇA DO GENERAL MIALA CONTRA UM CABINDA ACUSANDO-O DE FLEC

O combate à corrupção é uma política de Estado em Angola, mais do que um assunto de processo criminal. Da credibilidade desta política depende o futuro de Angola como potência regional e país próspero, Combater a corrupção utilizando o puro arbítrio, atropelando a lei, inventando mentiras, calúnias ou baseando as acções em opiniões e não em regras acaba sempre por trazer maus resultados.

Se é possível e desejável defender a política anticorrupção do presidente João Lourenço, começa a ser impossível defender algumas actitudes, dos seus auxiliares, sem qualquer fundamento legal e obscuros.

Augusto Tomás foi preso preventivamente no dia 21 de Setembro de 2018, data em que foi notificado pelas autoridades pela primeira vez, pendendo sobre ele uma investigação pela prática dos crimes de peculato (artigo 313.º do Código Penal), associação de malfeitores (artigo 263.º do Código Penal) e outros.

Aparentemente, o caso contra Augusto Tomás começou por assentar num relatório da Inspecção-Geral da Administração do Estado que apurou irregularidades no CNC Instituto tutelado pelos Transportes, todavia, o mais curioso e interessante neste caso é que o papel do SINSE foi muito mais profundo, que por vezes funcionou como o articulador, mandante e orientador dos conteúdos que deviam ser remetidos ao Presidente da República, estando sobre o seu controle a PGR e a IGAE, sendo o Chefe da Secreta o único quem colhia as informações destas Instituições e as remetia em Despacho pessoal ou por escrito ao Titular do Poder Executivo.

Há uma conhecida cruzada pessoal do General Fernando Garcia Miala contra Augusto da Silva Tomás. Mas este não é o fórum para abordar questiúnculas pessoais, assim como os poderes públicos não devem ser usados de forma abusiva. Porém

Fontes próximas ao Ex PR JES, que receia que o actual PR JLO deve ter sido induzido ao erro por desconhecimento de factos históricos, dizem que uma intriga palaciana, que vem desde os anos de 1994 data em que Augusto Tomás era Governador Provincial de Cabinda alegam ser o motivo que justifique a actual situação que o Ex dirigente Angolano esta a viver, parece ser a única explicação para que um relatório da IGAE que apresente dados de 2006 esteja a servir para um processo criminal em 2019.

As referidas fontes, uma delas é o Ex Chefe da Segurança do PR, dão conta que no ano de 1994 o General Fernando Garcia Miala remeteu uma informação secreta (intriga) ao então Chefe de Estado JES alegando que Augusto Tomás era membro da “FLEC- FAC” a guerrilha separatista e movimento político que luta pela independência de Cabinda. Porém passados 1 ano e não obtendo despacho do então PR JES eis que JES ausenta-se do País numa missão ao exterior e, Augusto Tomás na qualidade de Governador de Cabinda sofre um atentado na residência oficial do Governador Provincial, ferido conseguiu escapar ileso, após a morte dos seus escoltas e graças a igreja católica, consegue fugir em direcção ao Zaire, onde é recebido e cuidado pelo então Governador Senhor Zeferino Estevão Juliana.

Após regresso do então PR, Augusto Tomás e Fernando Miala, na presença do Chefe de Estado tiverem um desentendimento acompanhado de acusações e ameaças de morte.

Semanas a seguir Augusto Tomás é exonerado de Governador de Cabinda e nomeado para Ministro da Economia e Finanças, em sua substituição ocupa o Sr. José Amaro Tati.

Não satisfeito o General Miala enviou uma comissão da Inspecção á Cabinda no ano de 1996 (há documentos) mas que o relatório foi submetido pelo Presidente da República ao então Ex Governador de Cabinda Augusto Tomás para o competente contraditório.

No dia 31 de Maio data em que iniciou o julgamento do caso CNC foi o General Miala com um simples telefonema ao então Ministro do Interior Angelo a ordenar que Augusto Tomás fosse a audiência de julgamento vestido de roupa de recluso e fosse no carro cela, dos presos condenados, todos os intervenientes estão vivos e podem ser consultados desde o Ministro Angelo como a Direcção do Hospital Prisão de São Paulo.

Não há dúvidas de que deve ser levado um combate a corrupção sério sobre todos quantos “mamaram” dos dinheiros do Estado, incluindo Augusto Tomás. Mas o combate não deve ser selectivo, ungido com objectivos inconfessos, por parte de quem já sentiu na carne o sabor da injustiça, não foi por acaso que em menos de 24 horas após tomada de posse do General Miala como chefe do SINSE o mesmo investiu com unhas e dentes no sector dos Transportes, com visitas relâmpago.

Camarada PR João Gonçalves Lourenço pedimos que fique atento, não permita que seja usada a contra a corrupção para ajuste de contas para intrigas, olha a celebre frase de Rui Barbosa “Pouco se me dá que claudique a onagra, o que me apraz é acicatá-la” o que quer dizer em português corrente que “ A mim pouco me interessa se a mula é manca o que eu quero é chicoteá-la”.

Autor desconhecido

Fonte: Joana Clementina

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.