VIVA CUBA LIBRE DA DITADURA

DEDICO ESSA MÚSICA AO POVO DE CABINDA QUE SOFRE COM OS 46 ANOS DE OCUPAÇÃO DO ESTADO CROCODILO (ANGOLA-MPLA)!

Viva a identidade do Povo de Cabinda!

Viva a Independência de Cabinda e mais nada!

As causas nobres sempre triunfarão…

“Cabinda é um território que sofre do paradoxo da abundância! Há muita riqueza em Cabinda, mas as suas populações vivem em altos níveis de pobreza, desigualdade e discriminação. E sentem-se estrangeiros na sua própria terra!” José Marcos Mavungo.

VEJA O Vídeo aqui: https://fb.watch/6POg_Caqul/

(Pátria e Vida)

VIVA CUBA LIBRE DA DITADURA!

PATRIA Y VIDA

Música de: Descemer Bueno, Gente De Zona, and Yotuel.

Y eres tú mi canto de sirena

Porque con tu voz se van mis penas

Y este sentimiento ya está añejo

Tú me dueles tanto aunque estés lejos

Hoy yo te invito a caminar por mis solares

Pa’ demostrarte de que sirven tus ideales

Somos humanos aunque no pensemos iguales

No nos tratemos ni dañemos como animales

Esta es mi forma de decírtelo

Llora mi pueblo y siento yo su voz

Tu cinco nueve yo, doble dos

Sesenta años trancado el dominó

Bombo y platillo a los quinientos de la Habana

Mientras en casa en las cazuelas ya no tienen jama

¿Qué celebramos si la gente anda deprisa?

Cambiando al Che Guevara y a Martí por la divisa

Todo ha cambiado ya no es lo mismo

Entre tú y yo hay un abismo

Publicidad de un paraíso en Varadero

Mientras las madres lloran por sus hijos que se fueron.

tu cinco nueve, yo, doble dos

(Se acabó) tu cinco nueve, yo, doble dos

(Ya se acabó) sesenta años trancado el dominó, mira

(Se acabó) tu cinco nueve, yo, doble dos

(Ya se acabó) sesenta años trancando el dominó

Somos artistas, somos sensibilidad

La historia verdadera, no la mal contada

Somos la dignidad de un pueblo entero pisoteada

A punta de pistola y de palabras que aún son nada.

No más mentiras

Mi pueblo pide libertad, no más doctrinas

YA NO GRITEMOS PATRIA O MUERTE SINO PATRIA Y VIDA

Y empezar a construir lo que soñamos

Lo que destruyeron con sus manos

Que no siga corriendo la sangre

Por querer pensar diferente

¿Quién le dijo que Cuba es de ustedes?

Si mi Cuba es de toda mi gente.

(Ya se acabó) ya se venció tu tiempo, se rompió el silencio.

(Ya se acabó) ya se acabó la risa y el llanto ya está corriendo

(Se acabó) y no tenemos miedo, se acabó el engaño

(Ya se acabó) son sesenta y dos haciendo daño

Allí vivimos con la incertidumbre del pasado, plantado

Quince amigos puestos, listos pa’ morirnos

Izamos la bandera todavía la represión del régimen al día

Anamel y Ramón firme con su poesía

Omara Ruiz Urquiola dándonos aliento, de vida

Rompieron nuestra puerta, violaron nuestro templo

Y el mundo ‘tá consciente

De que el movimiento San Isidro continua, puesto.

Seguimos en las mismas, la seguridad metiendo prisma

Esas cosas a mí como me indignan, se acabó el enigma

Ya sa’ tu revolución maligna, soy Funky style, aquí tienes mi firma

Ya ustedes están sobrando, ya no le queda nada, ya se van bajando

El pueblo se cansó de estar aguantando

Un nuevo amanecer estamos esperando.

Se acabó, tu cinco nueve, yo, doble dos

Ya se acabó, sesenta años trancado el dominó, mira

Se acabó, tu cinco nueve, yo, doble dos

Ya se acabó, sesenta año trancando el dominó

Patria y vida

Patria y vida

Patria y vida

Sesenta años trancado el dominó…

Tradução livre para o português

Pátria e Vida

E tu és o meu canto de sereia

Porque com a tua voz as minhas tristezas desaparecem

E esta sensação já está ultrapassada

Magoas-me tanto, apesar de estares longe.

Hoje convido-vos a caminhar pelas minhas parcelas de terreno

Para lhes mostrar para que servem os seus ideais

Somos humanos mesmo que não pensemos da mesma forma

Não nos tratemos ou prejudiquemos uns aos outros como animais

Esta é a minha maneira de vos dizer

O meu povo chora e eu sinto a sua voz

Tu cinco nove eu, o dobro dois

Sessenta anos de domínio fechados

Estou em Havana há quinhentos anos

Enquanto em casa, nas caçarolas, já não têm jama

O que estamos a celebrar se as pessoas estão a andar depressa?

Troca de Che Guevara e Martí pela moeda

Tudo mudou, já não é mais o mesmo

Entre nós, há um abismo

Publicidade a um paraíso em Varadero

Enquanto as mães choram pelos seus filhos que partiram.

Os teus cinco nove, eu, o dobro de dois

(Acabou) os teus cinco nove, eu, o dobro de dois

(Acabou) sessenta anos de domínio trancado, veja

(Acabou) os teus cinco nove, eu, o dobro de dois

(Acabou) sessenta anos a trancados e dominados

Somos artistas, somos sensibilizados

A história verdadeira, não a mal contada

Somos a dignidade de um povo inteiro espezinhado

Na ponta de uma arma e de palavras que ainda não são nada.

Acabaram-se as mentiras

O meu povo pede liberdade, acabaram-se as doutrinas

NÃO GRITAMOS MAIS A PÁTRIA OU A MORTE, MAS SIM A PÁTRIA E VIDA.

E começar a construir aquilo com que sonhamos

O que destruíram com as suas mãos.

Chega de derramamento de sangue

Por querer pensar de forma diferente

Quem lhe disse que Cuba lhe pertence?

Se a minha Cuba pertence a todo o meu povo.

(Acabou agora) O seu tempo acabou, o silêncio foi quebrado.

(Acabou agora) o riso acabou e o choro já está a correr

(Acabou) e não temos medo, o engano acabou

(Acabou) são sessenta e dois a fazer mal

Aí vivemos com a incerteza do passado, plantada

Quinze amigos no local, prontos a morrer

Levantamos a bandeira ainda hoje a repressão do regime

Anamel e Ramón firmam com a sua poesia

Omara Ruiz Urquiola dando-nos fôlego, de vida

Partiram a nossa porta, violaram o nosso templo

E o mundo está ciente de que

Que o movimento de San Isidro continua.

Ainda estamos na mesma situação, as forças de segurança continuam a colocar-nos prismas

Estas coisas deixam-me tão indignado, o enigma acabou

A tua revolução maligna, sou o Funky style, e assino por baixo

Já lhe resta nada, já não tem mais nada, está a sair do caminho

O povo está cansado de aturar tudo isto

Um novo amanhecer de que estamos à espera.

Acabou, vocês cinco nove, eu, o dobro dois

Acabou, sessenta anos de domínio trancados, olha para isso

Acabou, os teus cinco nove, eu, o dobro de dois

Acabou, sessenta anos a fechados e dominados

Sou um homem de vida e de país

Sou um homem de vida e de país

Pátria e vida.

Sessenta anos a fechados e dominados.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.