RAVINAS E DESLIZAMENTO DE TERRA TIRAM O SONO À POPULAÇÃO DE BUCO MAZI

A Aldeia de Buco-Mazi, dista à 17km do centro da cidade de Cabinda, tem aproximadamente 1000 habitantes, e está situada à norte da Estrada Nacional nº100 que liga Cabassango a Fútila (Zona Industrial de Malongo).

Está localizada na orla marítima e tem a pesca como a principal actividade profissional dos seus habitantes. Limita-se a norte com a Aldeia do Fútila, a Sul com a Aldeia de Caio-Litoral, a Este com a Aldeia de Macanga e a Oeste com o Oceano Atlântico.

A Aldeia de Buco-Mazi tem um posto de saúde, duas escolas (uma do ensino primário e a outra do ensino secundário do Iº Ciclo), e alguns empreendimentos do sector privado.

A escola primária do Buco-Mazi, comporta três salas e, está há mais de dois anos em reabilitação, facto que obrigou os alunos daquela instituição à assistirem as aulas nas igrejas e no salão da residência do malogrado Embaixador Evaristo Kimba.

Já a escola secundária, está minimamente apetrechada, mas com a falta de água canalizada, tendo sido rompida à tubagem que fornecia o líquido precioso aquela instituição e arredores há mais de dois anos que são não substituídos, tem oito salas de aulas, com carteiras e luz eléctrica e uma estrutura ainda por se observar.

Os professores destas duas escolas, grande maioria reside em vários pontos do Território de Cabinda, sendo obrigados a ver uma boa parte do vencimento mensal acabar nos transportes para chegarem pontualmente ao local de serviço, situação que leva muitos a solicitarem transferências para escolas sediadas no centro da cidade ou nos bairros periféricos.

Sendo uma das poucas escolas do ensino secundário naquela região, a escola do Iº Ciclo do ensino secundário nº222 de Buco – Mazi, alberga não só alunos que residem naquela aldeia bem como dos arredores, tais como os de Cabassango, Mbuco, Chinga e Chiazi.

Infelizmente, Buco – Mazi terra de bons filhos de Cabinda, vive uma situação (drama) preocupante que tem tirado o sono e sossego aos seus habitantes, que é o drama do deslizamento de terra.

Tendo em conta que a aldeia, está situada numa zona com um pequeno relevo, especificamente nesta época(chuvosa), os deslizamentos de terra têm dificultado bastante a circulação de veículos principalmente, os pesados no interior da aldeia, por haver bastante areia.

Momentos há em que a terra, por causa das fortes chuvas, chega a cortar a Estrada Nacional, sendo a mesma de extrema importância, chegando até a atingir residências ao longo da estrada.

O posto de saúde daquela aldeia, funciona de forma lastimável, o que obriga os habitantes a deslocarem-se ao hospital do Chinga ou até mesmo ao Hospital Central de Cabinda, pois, sempre faltam meios de trabalho, o que preocupa à população local.

Outra grave situação que se regista naquela localidade, é o surgimento de ravinas, presume-se que a parte superior do Buco-Mazi pode futuramente vir ser despovoada por este motivo.

E das autoridades locais só se vê letargia para a resolução da questão na sua generalidade, com a excepção da entrada que dá acesso a zona residencial de famílias de Alto Nível, onde foi improvisada uma intervenção por parte de uma empresa chinesa para não se perder a entrada de veículos fruto da danificação provocada pela força da água neste período chuvoso, sendo uma consequência directa do surgimento das ravinas.

São escassos os estabelecimentos comerciais que prestam serviços na localidade, por essa razão os que la operam têm estado a comercializar os produtos com preços exorbitantes, dificultando de que maneira a vida dos citadinos de Mazi.

Infelizmente segundo as constatações não se registam avanços no desenvolvimento social de Buco Mazi, uma localidade que possui potencialidades turísticas (praia e rio) e espaços de terra em abundância, principalmente na zona fronteiriça coma Aldeia de Macanga que poderia servir para à implementação de projectos habitacionais e comercias, investimentos que seriam uma mais valia para o desenvolvimento da localidade.

Outrossim os residentes de Buco Mazi, solicitam a intervenção com urgência das autoridades locais para solucionar o drama da situação das ravinas e dos deslizamento de terra.

Texto de Ruben Malonda 

© 2019 A VOZ DE CABINDA – MBEMBU BUALA, PELA VERDADE E JUSTIÇA – CABINDA, PÁTRIA IMORTAL TUA GLÓRIA ESTÁ NOS TEUS FILHOS, BALUARTE INVENCÍVEL. PELA PÁTRIA, PELO POVO, JAMAIS ESQUECEREMOS OS HERÓIS DESTA LUTA.  

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.