SUPOSTOS DESVIOS DE FUNDOS PÚBLICOS MOTIVAM À DETENÇÃO DE NDUBO PAULO

O secretário da Indústria, Recursos Naturais e Petróleo de Cabinda, que encontra-se detido preventivamente, desde sábado, por supostamente ter desviado fundos públicos avaliados em 220 milhões de dólares americanos, destinado à construção de uma feira na localidade de Caio, no período 2009-2014.

MAS À GRANDE QUESTÃO QUE NÃO SE QUER CALAR! É!

PARA QUANDO À INVESTIGAÇÃO DOS OUTROS CASOS DE PECULATO DE GRANDE DIMENSÃO NOS CONSULADOS DE MAWETE, ALDINA E LABORINHO?

Mbembu Buala Press

A feira comercial de Cabinda, que seria o maior centro de negócios de Cabinda, visava a exposição dos produtos da classe empresarial local, promovendo a produtividade e parcerias empresarais.

Geraldo Ndubo Paulo é um dos secretários mais antigos do governo angolano em Cabinda. Já exerceu também as funções de secretario do Comércio, Hotelaria e Turismo.

Este é o terceiro caso de peculato que envolve membros do governo angolano em Cabinda.

O primeiro envolveu o director da EPAC, Filipe Barros e mais sete membros da direcção da empresa que haviam sido acusados do desvio de 21 milhões e 964 mil e 466 e 42 cêntimos de kwanzas, devido à falta de transparência na celebração de contractos de água na cidade de Cabinda, mas por falta de provas no processo de acusação foram todos absolvidos.

O segundo, foi com o administrador de Belize, André Ndimba Tati, devido a má gestão de fundos públicos na sua área de jurisdição. O reu foi condenado a oito anos de prisão maior.

Fonte: angop

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.