ACTIVISTAS DE CABINDA JÁ EM LIBERDADE

Nesta quinta-feira, 03 de fevereiro, o processo do julgamento dos ativistas Makosu Sita, Liumbu Liambu, Nilton Vicente Cubenda e Manuel Libo, detidos na passada terça-feira, 01 de fevereiro, quando manifestavam frente à embaixada de Portugal em Luanda, foi devolvido para instrução na esquadra que os deteve, por julgar que o prazo de julgamento sumário tinha expirado. Os arguidos foram mandados para casa com termo de identidade e residência com a obrigatoriedade de apresentação semanal na dita esquadra.

Segundo informações obtidas junto de uma ativista local, Laura Macedo, que acompanha o processo, o prazo para serem presentes ao Juiz para julgamento foi ultrapassado. Sendo assim, o advogado de defesa, Dr. Cipriano Casso fez um ponto prévio, que foi aceite pelo Juiz. Por esta razão, não houve julgamento, e os arguidos Makosu Sita, Liumbu Liambu, Nilton Vicente Cubenda e Manuel Libo foram assim colocados em liberdade com termo de identidade e residência.

Em declarações à Agência Lusa, o porta-voz do comando provincial da Polícia Nacional (PN) em Luanda, Nestor Goubel referiu que os quatro ativistas tinham sido detidos “devido ao tumulto criado” defronte à embaixada de Portugal em Luanda, para serem presentes ao MP (Ministério Público). Esta instituição acusará os arguidos do crime de desobediência civil por não obedecerem à ordem de dispersão frente à embaixada de Portugal.

Por José Marcos Mavungo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.