APELO DE ANTÓNIO GUTERRES FACILITA “CESSAR FOGO” EM CABINDA POR PARTE DA FLEC FAC

A resistência armada cabindesa anunciou que a partir das 20:00 horas desta segunda-feira, 13 de Abril, iniciará “um cessar-fogo temporário e provisório”, por um período de quatro semanas, a fim de “facilitar a luta contra o Coronavírus”.

Através de um comunicado o porta-voz da Frente Libertação do Estado de Cabinda (FLEC), Jean Claude Nzita, explica que a guerrilha “junta-se ao apelo ao cessar-fogo “em todo o mundo” lançado pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no contexto da luta contra a pandemia Covid-19/Coronavírus”.

No mesmo documento a direcção político-militar da FLEC pede a “todos os comandantes operacionais, em todas as regiões militares de Cabinda”, que observem o cessar-fogo, e na “mesma dinâmica de urgência pela paz” do secretário-geral das Nações Unidas a organização independentista apela à intervenção de António Guterres para a “resolução pacifica do conflito em Cabinda”.

O porta-voz da FLEC-FAC, Jean Claude Nzita, concluiu o comunicando reiterando “ao Presidente angolano, João Lourenço, que aceite dialogar para resolver pacificamente o problema de Cabinda” e exorta o Estado-Maior das Forças Armadas Angolanas (FAA) a “responder à iniciativa das Forças Armadas Cabindesas (FAC) com um gesto semelhante”.

Leia na íntegra o comunicado da Frente para a Libertação do Estado de Cabinda – Forças Armadas de Cabinda – FLEC FAC

COMUNICADO DA FLEC FAC PARA O CESSAR-FOGO EM CABINDA

A FLEC-FAC junta-se ao apelo ao cessar-fogo “em todo o mundo” lançado pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no contexto da luta contra a pandemia Covid-19/Coronavírus.

Saudamos a iniciativa e apoiamos plenamente o apelo do secretário-geral das Nações Unidas para que se proceda a um cessar-fogo imediato.

A direcção político-militar da FLEC-FAC decreta um cessar-fogo temporário e provisório, a fim de facilitar a luta contra o Coronavírus.

A FLEC-FAC pede a todos os comandantes operacionais, em todas as regiões militares de Cabinda, que observem um cessar-fogo temporário e provisório de quatro semanas a partir das 20:00 horas de Segunda-feira, 13 de Abril.

Na mesma dinâmica de urgência pela paz do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pedimos a sua intervenção na resolução pacifica do conflito em Cabinda, assim como reiteramos ao Presidente angolano, João Lourenço, que aceite dialogar para resolver pacificamente o problema de Cabinda; e exortamos o Estado-Maior das Forças Armadas Angolanas (FAA) a responder à iniciativa das Forças Armadas Cabindesas (FAC) com um gesto semelhante.

Cabinda, aos 13 de Abril de 2020

Leia ainda outros comunicados da FLEC FAC nos links em anexo;

Foto: Cabinda Flec Fac

Mbembu Bula Press, com a e-global.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.